Inauguração do Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural

Inauguração do Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural
Um dia de portas abertas

A inauguração da nova sede do Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural em Gualtar, Braga, o projeto cultural mais relevante, até hoje, da Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha, em resposta a vontade expressa pela sua Fundadora, teve lugar no dia 14 de maio de 2022 com um dia de portas abertas às famílias, autoridades e a toda a comunidade envolvente.

Durante o dia, foi possível efetuar uma visita guiada às instalações e ao Clube Juvenil em atividade, apreciar um vídeo e um friso cronológico sobre a história do Clube, com as datas e fotografias dos acontecimentos mais significativos ao longo dos quase 50 anos de vida do Colina, em Braga.

Pelas 18.00h, foi a vez de receber a visita do Senhor Arcebispo Primaz de Braga, Dom José Cordeiro, o qual presidiu à sagração do altar do Oratório do Centro Cultural e concelebrou a Eucaristia com Mons. José Rafael Espírito Santo, vigário regional da Prelatura do Opus Dei.

D, José Cordeiro conversa com associadas do Clube Colina

Estiveram presentes, em representação dos órgãos sociais da Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha, a Dra. Maria do Céu Baptista Lopes, a Dra. Maria Lucília Salgado Baptista Vieira Martins, a Dra. Marta Isabel Maia Torres de Oliveira, a Dra. Maria Lúcia Quental de Aguiar e a Dra. Maria Alexandrina Coutinho Portela Cabral de Almeida; a Direção do Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural: Dra. Susana Segura Padros, Eng. Maria Freitas do Amaral, Dra. Teresa Tato e Eng. Carla Carvalho e Ana Azevedo; o arquiteto António José Cerejeira Fontes e o Eng. João Miguel da Costa Almeida e Silva; as associadas, monitoras e suas famílias, antigas e atuais, outros colaboradores e individualidades.

De facto, o Clube Colina tem exercido a sua atividade desde 1974 e influenciado várias gerações da cidade de Braga e da região do Minho.

Registo fotográfico
Friso Cronológico da atividade do Clube Colina em Braga
Na imprensa:

Em Braga: O Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural

Em Braga: O Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural
Em Gualtar, a poucos minutos do Campus da Universidade do Minho

Parte do património da Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha consiste num prédio misto, doado pela Fundadora, Dra. Maria Beatriz Lopes da Cunha, situado na Rua da Igreja Nova, 81, em Gualtar, Braga, cidade com forte influência universitária no norte do país.

Nesse prédio, de acordo com a intenção da Fundadora, a Fundação iniciou, no ano de 2015, a construção de um edifício para instalar um centro de atividades culturais para a juventude, processo que se convencionou designar por “Projeto Colina – Construção e Implementação do Centro Cultural e Residência”.

O Projeto Colina – Construção e Implementação do Centro Cultural e Residência
construção

Os projetos de arquitetura do edifício, da autoria do Arq. António Jorge Fontes, foram aprovados pela Câmara Municipal de Braga a 6 de outubro de 2015, com a denominação “Colina – Centro Cultural e Residência”. Os projetos de especialidades foram entregues a 28 de dezembro de 2015 e aprovados em 22 de agosto de 2016. Prepararam-se entretanto os cadernos de encargos que receberam aprovação em março de 2017. Foram efetuados convites à apresentação de propostas para adjudicação da obra a 13 empresas de construção civil.

A 29 de setembro de 2017, foi celebrado o contrato de empreitada do “Colina – Centro Cultural e Residência” e, a 2 de outubro, apresentado o requerimento de alvará de construção junto da Câmara Municipal de Braga, sendo este aprovado a 12 de dezembro.

A 22 de janeiro de 2018, a empresa QT Civil – Engenharia e Reabilitação S. A. iniciou oficialmente a construção do “Colina – Centro Cultural e Residência” cujos trabalhos, instalação e decoração foram concluídos no final do ano de 2020.

A inauguração oficial do Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural teve lugar no dia 14 de maio de 2022.

O Living Lab da Fundação em Braga

Desde sempre foi preocupação da Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha que a infraestrutura a construir em Braga, bem como todas as que futuramente se vierem a edificar, tivessem uma clara e elevada taxa de utilização tirando partido de todas as valências oferecidas de uma forma permanente. O objetivo será que todas as unidades ou valências da Fundação sejam montras vivas – Living Labs – dos seus projetos, implementações reais dos conceitos de sustentabilidade para a Família, realizações animadas pela Juventude e o Serviço, onde se aplica a metodologia da Educação Personalizada.

Este centro, atualmente designado como Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural, tem como fim a operacionalização das atividades da Fundação em Braga, nomeadamente a realização de múltiplas ações relacionadas com os seus eixos estratégicos, dirigidas a famílias e estudantes e com os seguintes objetivos:

  • a promoção do desenvolvimento das suas potencialidades humanas e sociais;
  • a melhoria da sua formação cultural, cívica, desportiva e artística;
  • o sentido social do trabalho individual e comunitário;
  • o melhor aproveitamento das suas capacidades intelectuais e manuais;
  • o preenchimento dos tempos livres, mediante uma recreação voltada não só para o agradável, mas também para o útil.

Para tanto, conta com a contribuição de personalidades ligadas à Universidade, à cultura, às artes e às ciências, procurando identificar o maior número possível de instituições e projetos de relevo de modo a estabelecer parcerias..

O Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural

O Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural reconhece e acolhe a experiência de atividade cultural desenvolvida com a juventude pelo Clube Colina, que deu os seus primeiros passos em Braga, nos anos 70 do século XX, na Rua de S. Sebastião, nº 69 e, a partir de 1991, nas instalações da Rua de S. Gonçalo, nº 47.

No edifício construído na Rua da Igreja Nova , 81 – Gualtar, os recursos físicos disponíveis abrem novas potencialidades para o exercício da sua missão.

O Colina – Clube Juvenil e Centro Cultural (www.colina.pt) é dinamizado por uma equipa multidisciplinar que procura promover a contribuição ativa de todos os colaboradores e participantes nas suas atividades, de modo a que, com iniciativa, espírito de serviço e responsabilidade, sejam atores de melhoria e intervenção social.

O Clube Colina: Identidade e Estratégia

O Clube Colina (www.colina.pt), na sua vertente de Clube Juvenil, é um centro de atividades extracurriculares, cuja Missão é colaborar com os pais na tarefa educativa, complementando o papel da família e da escola. Os tempos livres têm uma notável transcendência educativa, pelo que se constituem como parte da construção de um projeto educativo familiar.

Tendo como Visão “Formar o Futuro”, o objetivo do Clube Colina consiste em dar ferramentas para que as associadas desenvolvam personalidades fortes e equilibradas, como estudantes responsáveis, profissionais competentes, e que percebam o seu papel insubstituível na família e na sociedade.

Os valores essenciais do Clube Colina são:

  • Integridade e coerência de vida
  • Amor à liberdade e responsabilidade pessoal
  • Trabalho de qualidade e trabalho como serviço
  • Prioridade da família e das relações interpessoais

No Clube Colina, tendo como foco a Formação da Personalidade de cada Associada, procura-se estimular as potencialidades e aptidões de cada uma, num processo de auto crescimento. Cada jovem recebe um acompanhamento personalizado de acordo com as suas necessidades, num ambiente de amizade e confiança recíprocas, sem qualquer discriminação por motivos sociais, raciais, políticos, religiosos ou outros. Valorizam-se as atividades associadas à cidadania e ao voluntariado e fomenta-se uma atitude proativa na resolução dos problemas da sociedade.

Seminário “O Impacto do Serviço” – Viseu

Seminário “O Impacto do Serviço” – Viseu

O Impacto do Serviço

O seminário “O Impacto do Serviço” realizou-se no dia 26 de maio de 2022, na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), com a presença de cerca de uma centena de alunos desta instituição e de algumas escolas profissionais da região Centro.

A sessão foi aberta pela Professora Helena Maria Vala Correia, vice-presidente do IPV, e pela Professora Maria do Céu Baptista Lopes, em representação da Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha (FMBLC), responsável pelo evento.

Este Seminário dirigiu-se fundamentalmente a académicos que pretendem dedicar-se a profissões onde o serviço às pessoas é essencial (Hotelaria, a Restauração, o Turismo, a Saúde…) ou seja, a profissionais “que transformam pessoas desde dentro, que procuram O BEM DA PESSOA”. Referindo-se aos objetivos do evento, a presidente do Conselho de Administração da FMBLC destacou que este tema se insere nos eixos estratégicos da Fundação e deu origem a sinergias de colaboração e reflexão.

Seguidamente, a Professora Cristina Barroco, Diretora do Curso de Turismo da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu e moderadora da primeira mesa, reiterou a importância e pertinência do tema em debate e convidou o Dr. Tiago Gonçalves, Diretor da Pousada de Viseu, e o Chef Diogo Rocha, eleito “Chef do Ano” em 2020, a partilharem as suas experiências.

Ohana: Culture of Care , um conceito surpreendente: criar um ambiente de família, como forma de gerir as expectativas do cliente e dos colaboradores, foi o tema explorado pelo Dr. Tiago Gonçalves. Após uma “viagem” pelo Grupo Pestana de que fazem parte a Pousada de Viseu e a Pousada da Serra da Estrela , apresentadas como uma possibilidade de emprego para alguns dos participantes, salientou aspetos do serviço oferecido que contribuem para uma experiência de Ohana. Todos servimos, de algum modo. Todos oferecemos tempo, pormenores, atenção, experiências: a experiência de estar em casa, em família…

Por seu lado, o Chef Diogo Rocha, na sua intervenção sobre “O sentido e a necessidade de servir“, sublinhou a ideia de que todos servimos e mais meritoriamente ainda numa profissão cujo centro é a Pessoa.

Após o intervalo para o almoço, o enólogo Eng. João Cabral Almeida deu início à segunda sessão de trabalhos em que intervieram a Doutora Marta Lince de Faria, numa perspetiva filosófica, e a Dra. Teresa Sarmento, enquanto médica oncologista e especialista em cuidados paliativos, no Centro Hospitalar de Trás os Montes e Alto Douro.

Na sua intervenção sobre “Liderar pelo Serviço“, Marta Faria salientou que “o verdadeiro poder é o serviço”, o poder de transformar as pessoas, de as ativar, cativar desde dentro. O maior poder é o que ativa o maior bem. A maior riqueza está nas relações interpessoais. Quando sirvo, ajoelho-me diante da pessoa e levantamo-nos juntos. O serviço de que somos objeto recorda-nos que valemos muito; aquele que oferecemos manifesta a descoberta do valor do outro. Existe algo de gratuito no serviço. O ser humano não se esgota na satisfação de necessidades; orienta-se para fora, para o conhecimento, para a relação. Alguns paradoxos: vivemos numa cultura da imagem; verificamos uma necessidade de reconhecimento, de aprovação por parte dos outros. Simultaneamente, vivemos numa cultura da autonomia em que um ideal seria não precisar dos outros, uma utopia de um mundo onde o serviço não seria necessário, com o isolamento como consequência. O serviço é fonte de felicidade para quem serve e para quem é servido.

A Dra. Teresa Sarmento apresentou um testemunho muito forte sobre a sua experiência em doenças terminais e cuidados paliativos, começando por afirmar que “os corpos doem, mas as pessoas sofrem”. Que o seu serviço há de ser centrado no doente, em pessoas no seu estado mais frágil. Um estado em que as coisas importantes deixam de ter sentido e onde gestos pequenos, como sentar-se ao nível dos olhos, pegar na mão, mostrar uma foto…. , adquirem e dão valor. A empatia e a escuta, o estar verdadeiramente com o outro, plenamente presentes, é o que realmente importa. Lemas que norteiam as relações: “Faz o que deves e está no que fazes!” e “O sofrimento é intolerável quando ninguém se importa”.

O Seminário terminou com a excelente atuação da Orquestra de Sopros do Conservatório Regional de Música de Ferreirim, dirigida pelos Professores Paulo Fonseca e Nuno Bastos.

Galeria de Imagens

UNIV Inspire 2020 – “Next Generation Leaders” – Roma – AVISO Covid 19

UNIV Inspire 2020 – “Next Generation Leaders” – Roma – AVISO Covid 19

AVISO: UNIV Inspire 2020 cancelado

Lamentamos comunicar que, como medida de prudência perante a evolução em Itália e outros países da emergência sanitária provocada pelo novo Coronavírus/Covid 19, o convívio Univ Inspire 2020 em Roma foi cancelado, pois preferimos optar pelo cuidado preventivo de saúde das pessoas.

Pedimos desculpa pelos problemas que esta decisão possa ocasionar e aconselhamos a consultar a página https://www.univinspire.org/ , caso tenha pago a inscrição, para que esta lhe seja devolvida.


O tema do UNIV para 2020
Líderes da Nova Geração

Um líder não é alguém com um cargo oficial, um CEO, um chefe. Os líderes encontram-se nas comunidades, nas escolas, nas famílias. A função dos líderes é coordenar, animar, planificar, trabalhar, pensar no serviço de um bem maior. São necessários tanto para construir estrategicamente em tempos de paz, como para responder rapidamente em tempos de crise.

Só para te inspirares:

O que fazes, simplesmente, é uma prova daquilo em que acreditas ( Simon Sinek)

Quais são as qualidades de um bom líder? Deverá possuir uma personalidade impositiva, ou ter sempre razão? Como gere os erros e debilidades pessoais? Como criar equilíbrio entre falar e escutar, entre dialogar e tomar decisões firmes e oportunas? A liderança também pode ser vista como algo para poucos eleitos: os dotados, os bem relacionados, os persuasivos. A liderança está ao alcance de todos? Quem são alguns dos líderes mais improváveis da história?

O que é o UNIV?

UNIV Inspire é um congresso universitário internacional que se realiza durante a Semana Santa, em Roma. Anualmente, define-se um tema para que os jovens participantes possam estudar e aprofundar um aspeto concreto da sociedade atual, e assim oferecer soluções para os diversos desafios que se apresentam. O UNIV nasceu em 1968 com o objetivo de permitir que todos os anos cerca de 3.000 jovens possam viver uma experiência de impacto profundo, onde nascem e crescem ideias, como consequência do contacto com o património cultural, espiritual e artístico que a cidade de Roma conserva.

Estudar, refletir, dialogar, interrogar, argumentar: atividades que estão no centro da vida universitária. Um dos desafios da universidade – além de oferecer una adequada formação técnica nas diversas disciplinas – é ajudar os estudantes a amadurecer sólidos hábitos de rigor intelectual e fazer com que sejam capazes de enfrentar as grandes questões da vida humana, do progresso científico e cultural, da religião, da economia e de muitos outros âmbitos.

Por outro lado, para se limitar à reflexão teórica, o UNIV Inspire promove a criação de projetos com impacto na sociedade.
Com uma ampla variedade de modalidades – conferências, trabalhos de investigação, projetos sociais, vídeos, etc.- o UNIV Inspire constitui uma plataforma flexível para a criatividade e iniciativa de professores e estudantes que provêm de diversas culturas.

Participam cerca de 1000 jovens provenientes dos 5 continentes. Estiveram representados a República Checa, Polónia, Austrália, Estados Unidos, Croácia, Letónia e Lituânia, Suécia, Alemanha, Eslováquia, Espanha, Quénia, Porto Rico, Brasil, Chile, Uruguai, Argentina, Paraguai… num total de 33 países.

Como participar?

No UNIV Inspire, cada pessoa contribui e gera novas ideias. É um espaço que oferece oportunidades de partilha com jovens a nível internacional, criando sinergias de pensamento para se tornarem agentes de mudança à sua volta. Para gerar pensamento e reflexão, a criatividade é um elemento indispensável. Por isso, se oferecem formas de participação variadas:

  1. Comunicações
  2. Projetos Sociais
  3. Vídeos

Segue o UNIV Inspire 2020 nas Redes Sociais

UNIV Congress 2019 -“O poder transformador do trabalho”

UNIV Congress 2019 -“O poder transformador do trabalho”
O poder transformador do trabalho

Alguma vez te questionaste sobre o facto de os seres humanos terem mãos? Esta realidade pode parecer óbvia, mas não. No mundo natural, parece que existem espécies mais aptas, as aves possuem asas para voar, os peixes têm barbatanas que lhes permitem deslocar-se mais depressa; peles e penas oferecem proteção perante as dificuldades, instintos mais desenvolvidos, mecanismos de defesa que se ativam com facilidade perante os perigos. Pelo contrário, o ser humano aparece como especialmente vulnerável. Vulnerabilidade essa que pode ser a nossa maior fortaleza.

Graças à racionalidade criativa, o ser humano tem a capacidade de dominar o seu ambiente; pode construir asas para voar, desenhar o seu habitat, tecer o seu vestuário. Por isso, as mãos se transformam em protagonistas na construção do nosso mundo.

Com as mãos oferecemos atenção, estabelecemos relações, protegemos os outros, manifestamos com o seu movimento a nossa própria intimidade.

Humanizamos o mundo.

O UNIV Congress

O UNIV Congress é um congresso universitário internacional que se realiza durante a Semana Santa em Roma. Anualmente, define-se um tema para que os jovens participantes possam estudar e aprofundar um aspeto concreto da sociedade atual, e assim oferecer soluções para os diversos desafios que se apresentam. O UNIV nasceu em 1968 com o objetivo de permitir que todos os anos cerca de 3.000 jovens possam viver uma experiência de impacto profundo, onde nascem e crescem ideias, como consequência do contacto com o património cultural, espiritual e artístico que a cidade de Roma conserva.

Estudar, refletir, dialogar, interrogar, argumentar: atividades que estão no centro da vida universitária. Um dos desafios da universidade – além de oferecer una adequada formação técnica nas diversas disciplinas – é ajudar os estudantes a amadurecer sólidos hábitos de rigor intelectual e fazer com que sejam capazes de enfrentar as grandes questões da vida humana, do progresso científico e cultural, da religião, da economia e de muitos outros âmbitos.

Por outro lado, para se limitar à reflexão teórica, o UNIV Congress promove a criação de projetos com impacto na sociedade.
Com uma ampla variedade de modalidades – conferências, trabalhos de investigação, projetos sociais, vídeos, etc.- o UNIV Congress constitui uma plataforma flexível para a criatividade e iniciativa de professores e estudantes que provêm de diversas culturas.

Participaram cerca de 1000 jovens provenientes dos 5 continentes. Estiveram representados a República Checa, Polónia, Austrália, Estados Unidos, Croácia, Letónia e Lituânia, Suécia, Alemanha, Eslováquia, Espanha, Quénia, Porto Rico, Brasil, Chile, Uruguai, Argentina, Paraguai… num total de 33 países.

Formas de participação
  • Comunicações ao congresso
  • Projetos Sociais
  • Concurso de Debates
    • Opção 1: Conceito de trabalho – estamos num ponto de viragem comparável às revoluções industrial e neolítica?
    • Opção 2: Como deveria ser um trabalho que facilitasse à mulher ser mãe sem ser desvalorizada no mundo laboral?
A participação portuguesa em 2019

Em 2019, participaram 19 jovens universitárias de diversos pontos do país.

Atreve-te!!! Eis o tema para 2020

Construção de um centro de atividades culturais em Braga

Construção de um centro de atividades culturais em Braga

O Projeto “Colina – Centro Cultural e Residência”

Os projetos de arquitetura do edifício, da autoria do Arq. António Jorge Fontes, foram aprovados pela Câmara Municipal de Braga a 6 de outubro de 2015, com a denominação “Colina – Centro Cultural e Residência”. Os projetos de especialidades foram entregues a 28 de dezembro de 2015 e aprovados em 22 de agosto de 2016. Prepararam-se entretanto os cadernos de encargos que receberam aprovação em março de 2017. Foram efetuados convites à apresentação de propostas para adjudicação da obra a 13 empresas de construção civil.

A 29 de setembro de 2017, foi celebrado o contrato de empreitada do “Colina – Centro Cultural e Residência” e, a 2 de outubro, apresentado o requerimento de alvará de construção junto da Câmara Municipal de Braga, sendo este aprovado a 12 de dezembro.

A 22 de janeiro de 2018, a empresa QT Civil – Engenharia e Reabilitação S. A. iniciou oficialmente a construção do “Colina – Centro Cultural e Residência” cujos trabalhos, instalação e decoração foram concluídos no final do ano de 2020 .

construção
Em Gualtar, a poucos minutos do Campus da Universidade do Minho

Parte do património da Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha consiste num prédio misto situado no Lugar de Barros, Gualtar, em Braga, cidade com forte influência universitária no norte do país.

Nesse prédio, de acordo com a intenção da Fundadora, a Fundação pretende construir um edifício para instalar um centro de atividades culturais para a juventude.

Este centro terá como fim a realização de múltiplas atividades dirigidas a famílias e estudantes com o objetivo da promoção do desenvolvimento das suas potencialidades humanas e sociais, da melhoria da sua formação cultural, cívica, desportiva e artística, do sentido social do trabalho individual e comunitário, do melhor aproveitamento das suas capacidades intelectuais e manuais, do preenchimento dos tempos livres, mediante uma recreação voltada não só para o agradável, mas também para o útil. Para tanto, contará com a contribuição de personalidades ligadas à Universidade, à cultura, às artes e às ciências.

Projeto Cabo Verde 2018

Projeto Cabo Verde
O Projeto Cabo Verde

A edição 2018 do  Projeto Cabo Verde, um projeto de voluntariado internacional para a cooperação, desenvolvido por estudantes universitárias e jovens profissionais  teve lugar no Bairro de Fontón, na cidade da Praia, de 22 de julho a 2 de agosto de 2018.

Resulta da parceria entre várias associações portuguesas – a Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha, a Cooperativa de Telheiras para a Promoção da Solidariedade e da Cultura, CRL, a Fundação Maria Antónia Barreiro, os Álamos, Associação Juvenil (Lisboa) e o Rampa Clube (Porto) – em colaboração com a comunidade local cabo-verdiana através do Centro de Intervenção Comunitária de Fonton.

A estratégia de intervenção abrange três pilares fundamentais do desenvolvimento social: educação e formação, saúde e ambiente.

Seleção e formação de Voluntárias

Cerca de 200 inscrições foram recebidas através do site do Projeto Cabo Verde 2018  De março a junho, decorreu o processo de seleção e formação das 60 participantes provenientes de todo o país. As ações de formação tiveram lugar nas cidades de Braga, Porto, Coimbra e Lisboa.

Iniciativas de angariação de fundos

Simultaneamente, foram lançadas diversas iniciativas de angariação de donativos em dinheiro e géneros de modo a suportar as despesas do Projeto e a suscitar a solidariedade com a população-alvo. Destacamos as campanhas “Mochilas Solidárias” e “Famílias ajudam Famílias” que conseguiram mobilizar famílias e escolas de todo o país com o objetivo, respetivamente, de dotar crianças caboverdianas com material escolar básico e oferecer cabazes de alimentos.

Intervenção no terreno

A intervenção no terreno, em 2018, efetivou-se de 18 de julho a 22 de agosto e decorreu no bairro do Fonton, na cidade da Praia, envolvendo nas ações de voluntariado 60 estudantes do ensino superior e jovens profissionais.

Os objetivos globais e específicos do Projeto pretenderam dar um contributo para fazer dos beneficiários os protagonistas do seu próprio desenvolvimento e, complementarmente, apostar na formação das voluntárias, valorizando a iniciativa de cada uma e proporcionando uma oportunidade de treinar, ganhar e aperfeiçoar competências.

Concerto dos Avós – Viseu – 21 de julho 2018

Cartaz Concerto dos Avós

Na continuidade da organização de um evento cultural, em Viseu, por ocasião do Dia Internacional da Família, em 2018, a Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha optou por assinalar, a 21 de julho, o Dia dos Avós com um Concerto dos alunos do Conservatório Regional de Música Dr. José Azeredo Perdigão, em parceria com o Instituto Politécnico de Viseu, que cedeu graciosamente a sua Aula Magna.

As famílias da Cidade puderam usufruir de uma tarde musical e de uma ocasião de convívio gratificante.