Construção de um centro de atividades culturais em Braga

Construção de um centro de atividades culturais em Braga
 
A Construção começou!

A 22 de janeiro de 1018, a empresa QT Civil – Engenharia e Reabilitação S. A. iniciou oficialmente a construção do “Colina – Centro Cultural e Residência”. A sua conclusão deverá ocorrer dentro de 14 meses.

construção

 

O Projeto “Colina – Centro Cultural e Residência”

Os projetos de arquitetura do edifício, da autoria do Arq. António Jorge Fontes, foram aprovados pela Câmara Municipal de Braga a 6 de outubro de 2015, com a denominação “Colina – Centro Cultural e Residência”. Os projetos de especialidades foram entregues a 28 de dezembro de 2015 e aprovados em 22 de agosto de 2016. Prepararam-se entretanto os cadernos de encargos que receberam aprovação em março de 2017. Foram efetuados convites à apresentação de propostas para adjudicação da obra a 13 empresas de construção civil.

A 29 de setembro de 2017, foi celebrado o contrato de empreitada do “Colina – Centro Cultural e Residência” e, a 2 de outubro, apresentado o requerimento de alvará de construção junto da Câmara Municipal de Braga, sendo este aprovado a 12 de dezembro.

Em Gualtar, a poucos minutos do Campus da Universidade do Minho

Parte do património da Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha consiste num prédio misto situado no Lugar de Barros, Gualtar, em Braga, cidade com forte influência universitária no norte do país.

Nesse prédio, de acordo com a intenção da Fundadora, a Fundação pretende construir um edifício para instalar um centro de atividades culturais para a juventude.

Este centro terá como fim a realização de múltiplas atividades dirigidas a famílias e estudantes com o objetivo da promoção do desenvolvimento das suas potencialidades humanas e sociais, da melhoria da sua formação cultural, cívica, desportiva e artística, do sentido social do trabalho individual e comunitário, do melhor aproveitamento das suas capacidades intelectuais e manuais, do preenchimento dos tempos livres, mediante uma recreação voltada não só para o agradável, mas também para o útil. Para tanto, contará com a contribuição de personalidades ligadas à Universidade, à cultura, às artes e às ciências.

 

Projeto Cabo Verde 2018

Projeto Cabo Verde

O Projeto Cabo Verde

A edição 2018 do  Projeto Cabo Verde, um projeto de voluntariado internacional para a cooperação, desenvolvido por estudantes universitárias e jovens profissionais  teve lugar no Bairro de Fontón, na cidade da Praia, de 22 de julho a 2 de agosto de 2018.

Resultante da parceria entre várias associações portuguesas – a Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha, os Álamos, o Rampa Clube, a Cooperativa de Telheiras para a Promoção da Solidariedade e da Cultura, CRL e a Associação Cultural das Areias (Estoril), em colaboração com a comunidade local caboverdiana.

A estratégia de intervenção abrange três pilares fundamentais do desenvolvimento social: educação e formação, saúde e ambiente.

Formação de Voluntárias – Lisboa
 
 
Seleção e formação de Voluntárias

Cerca de 200 inscrições foram recebidas através do site do Projeto Cabo Verde 2018  De março a junho, decorreu o processo de seleção e formação das 60 participantes provenientes de todo o país. As ações de formação tiveram lugar nas cidades de Braga, Porto, Coimbra e Lisboa.

 

 

Formação em S. Pedro de Sintra
Iniciativas de angariação de fundos

Simultaneamente, foram lançadas diversas iniciativas de angariação de donativos em dinheiro e géneros de modo a suportar as despesas do Projeto e a suscitar a solidariedade com a população-alvo. Destacamos as campanhas “Mochilas Solidárias” e “Famílias ajudam Famílias” que conseguiram mobilizar famílias e escolas de todo o país com o objetivo, respetivamente, de dotar crianças caboverdianas com material escolar básico e oferecer cabazes de alimentos.

 

 

 

“O Verdadeiro Diálogo Derruba Muros”

 

“O diálogo derruba os muros das divisões e incompreensões; cria pontes de comunicação e não permite que alguém se isole”

(Papa Francisco, audiência de 22/10/2016).

 

Refletir sobre as condições, os caminhos, e as possibilidades concretas para o diálogo  no atual contexto de diversidade foi o objetivo de dois encontros, um em Sintra e outro em Arcozelo, V. N. Gaia, que incluíram conferências, palestras e workshops.

A Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha apoiou estas duas ações de formação com a duração de dois dias, dirigidas a um público-alvo adulto, com cerca de 60 participantes. Alexandra Chumbo, Conceição Zagalo, Fátima Carioca, Graça Franco, Pedro Gil, João Franco Reis, Teresa Sarmento, Manuela Gomes e Rita Lobo Xavier foram alguns dos oradores.

Summer School em Fundamentos Filosóficos: A espantosa Realidade das Coisas

 

                              

ser

 “O que é o ser?”.

  A perplexidade gerada pela pergunta está no facto de o ser se encontrar entre os conceitos mais gerais e abstratos possíveis. Pode-se investigar a constituição material e as leis fundamentais da natureza. Esse é o caminho e método das ciências naturais. Mas, será que a razão e as ciências naturais que se dedicam à investigação sobre a constituição das coisas da natureza e quais os princípios e leis que governam os diversos fenómenos conseguem chegar ao conhecimento da realidade das coisas?

Esta ação de formação em Fundamentos Filosóficos teve como objetivo iniciar os participantes nas bases da filosofia como complemento à sua formação académica.

Com a duração de 35 horas, a Summer School realizou-se em S. Pedro de Sintra, durante o mês de agosto, dirigindo-se a jovens estudantes do ensino superior, sob a orientação da formadora Dra. Ana Alexandra Machado.

Apoio ao Incontro Romano 2017 – “ Modelando um Mundo mais Acolhedor”

Apoio ao Incontro Romano 2017 – “ Modelando um Mundo mais Acolhedor”

 

A Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha apoiou a participação portuguesa no Forum Internacional Incontro Romano 2017, em Roma.

 

O Incontro Romano

Desde 1990, são mais de 6000 os participantes, procedentes de 60 países, que ao longo destes anos se têm reunido, durante a Semana Santa, no Forum Internacional Incontro Romano partilhando estudos, experiências criativas, iniciativas e projetos relacionados com um tema geral, atual e aberto.

O Incontro Romano é uma iniciativa que cria espaços de reflexão e promove ações que centralizem a atenção na pessoa humana, fomentem a investigação interdisciplinar, a capacitação com excelência e respondam ao desafio urgente de proteger e melhorar a nossa “casa comum”.

“Modelando um Mundo mais Acolhedor”

Em 2017, o tema Modelando um Mundo mais Acolhedorprocurou responder ao desafio: “A cultura do acolhimento e da solidariedade, segundo a qual ninguém pode ser considerado inútil, deslocado ou descartável”. (Cfr. Mensajem do Papa Francisco para a Jornada Mundial do Emigrante e do Refugiado, 2015).

Nas circunstâncias atuais de mobilidade por razões de trabalho, estudo, migração, perseguição, é urgente despertar uma atitude interior de acolhimento que todo o ser humano possui, e em particular a mulher. Cada pessoa deveria sentir o mundo como a sua casa pelo trato, pela atenção, pelo cuidado. Todos somos responsáveis pelos outros, pelo ambiente humano e acolhedor em que habitamos. O mundo será acolhedor, se cada um é acolhedor. Quando se fomenta a amabilidade, a magnanimidade, a hospitalidade traduz-se em mensagens não verbais que traduzem um profundo respeito, um sentido de responsabilidade pelo outro.

 

A participação portuguesa

Este ano, Portugal contou com uma representação de onze participantes provenientes do Porto (Residência de Estudantes  Rotunda), Lisboa (Residência de Estudantes Laranjeiras) e Montemor-o-Novo coordenada pela formadora Maria Teresa Damásio.

O grupo português obteve o primeiro prémio nas equipas de Criação e Criatividade com a apresentação de um Porto de Honra acompanhado de aperitivos em formato de barcos rabelos.

Apoio ao PROJETO THE ART OF LIVING

Apoio ao PROJETO THE ART OF LIVING

 

A Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha decidiu apoiar a edição 2017 da competição juvenil do PROJETO THE ART OF LIVING promovido pelos seguintes clubes juvenis: Clube Monte Alegre (Montemor-o-Novo), Clube Campo Alegre (Galegos – Penafiel), Clube 7+ (Lisboa), Clube Rotunda (Porto) e coordenado pela formadora Maria Cláudia Ghira Campo Viana.

 

O Projeto The Art of Living

O PROJETO THE ART OF LIVING consiste numa competição anual e nacional entre equipas de jovens a partir dos 13 anos, cujo tema de fundo visa redescobrir e valorizar as necessidades elementares da pessoa: a alimentação, o vestuário, a saúde e a beleza, através do amor à arte e com arte, dedicação e carinho.

O PROJETO THE ART OF LIVING oferece a possibilidade de adquirir competências para influir na sociedade e na família. Servir as pessoas nos seus cuidados mais básicos requer amor e arte, dedicação e serviço.

A dimensão de dar gratuitamente pode estar presente em cada ação ou em cada profissão: sente-se na amabilidade, no cuidado atento, na atitude de serviço, num “algo mais” que se dá elevado à categoria de arte. E cada pessoa, por ser única e irrepetível, tem direito a esse “algo mais”, a esse toque de humanidade que é oferecer parte da minha vida através do serviço.

 

Funcionamento do Projeto The Art of Living

As equipas de concorrentes preparam-se ao longo do ano para ensaio / pesquisa / aprendizagem da matéria sobre a qual irão fazer o trabalho final. São acompanhadas por uma monitora qualificada pelo THE ART OF LIVING, garantindo assim uma educação personalizada. A competição anual, a ter lugar no segundo trimestre, diante de um júri, é apenas o coroamento do esforço dos meses de trabalho e formação.

As áreas de trabalho propostas pelo PROJETO THE ART OF LIVING são: Casa e Decoração; Cozinha e Doçaria; Moda; Organização de Eventos e Saúde.

 

Projeto The Art of Living Portugal 2017

Inspirado numa iniciativa congénere realizada nos EUA, no Reino Unido, Irlanda e Itália, em Portugal, este concurso vai na sua 7ª edição e, em 2017, as sessões finais realizaram-se em:

1ª sessão – de 27 e 28 de fevereiro, em Montemor-o-Novo, para jovens do 7º e 8º anos de escolaridade.

2ª sessão –  de 4 a 6 de abril, em Miramar, para jovens do 9º, 10º e 11º anos de escolaridade.

Participaram na 1ª sessão dezasseis jovens e quatro monitoras e, na 2ª sessão, dezoito jovens e seis monitoras.

 

Provas a concurso no THE ART OF LIVING 2017:

  1. Recriar uma receita com os ingredientes que aparecem no cesto – Equipa Vencedora: Clube Monte Alegre
  2. Dar uma aula prática de pastelaria – Equipa Vencedora: Clube 7+
  3. Dar uma aula prática de Etiqueta e Boas Maneiras – Equipa Vencedora: Clube Campo Alegre
  4. Decorar uma mesa de festa de aniversário para crianças – Equipa Vencedora: Clube Rotunda

O programa de ambas as sessões foi ainda preenchido com colóquios, visitas e outras atividades culturais.

Seminário para Profissionais e Aficionadas da Moda

Seminário para Profissionais e Aficionadas da Moda

Contribuir positivamente nas tendências e estilos de vida, particularmente no setor da moda, constituiu o objetivo do SEMINÁRIO PARA PROFISSIONAIS E AFICIONADAS DA MODA.

Organizado pela Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha, teve lugar no  dia 27 de maio de 2017, em Fátima, no Hotel dos Três Pastorinhos, com a presença de Paloma Diaz Soloaga.

Paloma Diaz Soloaga é professora titular da Universidad Complutense de Madrid e diretora do master em Comunicação e Gestão de Moda no Centro Universitario Villanueva, na mesma cidade.  Possui licenciatura em Jornalismo e doutoramento em Comunicação e Relações Públicas pela UCM. Desde 2005, o seu campo de investigação e publicações têm versado sobre temas como: “Estereótipos femininos criados na publicidade de marcas de moda. Análise de Conteúdo e estudo de  efeitos nas Mulheres” ou “Gestão de marcas e processos de comunicação”, entre outros.

Diversas bloggers, consultoras de moda, designers, representantes da indústria têxtil e da investigação universitária estiveram também presentes no SEMINÁRIO PARA PROFISSIONAIS E AFICIONADAS DA MODA para  partilharem a sua experiência e boas práticas.

Blogs representados: “A mil à hora“, “Monozigo Sisters“, “ O Blog da Maria

Teresa Ulrich (Monozigo Sisters)
Paloma Diaz Soloaga

 

 

Projeto Cabo Verde 2017

Projeto Cabo Verde 2017

O Projet15896215_588007951394680_5798623400159278766_oo Cabo Verde (PCV) é um projeto de voluntariado internacional para a cooperação, desenvolvido por estudantes universitárias e jovens profissionais.

Resulta da parceria entre várias associações portuguesas – a Fundação Maria Beatriz Lopes da Cunha, os Álamos, o Rampa Clube, a Cooperativa de Telheiras para a Promoção da Solidariedade e da Cultura, CRL e a Associação Cultural das Areias (Estoril) – em colaboração com a comunidade local cabo-verdiana.

A estratégia de intervenção abrange três pilares fundamentais do desenvolvimento social: educação e formação, saúde e ambiente. A intervenção no terreno, em 2017, efetivou-se de 25 de julho a 13 de agosto e decorreu no bairro do Fonton, na cidade da Praia.

Os objetivos globais e específicos do Projeto pretenderam dar um contributo para fazer dos beneficiários os protagonistas do seu próprio desenvolvimento e, complementarmente, apostar na formação das voluntárias, valorizando a iniciativa de cada uma e proporcionando uma oportunidade de treinar, ganhar e aperfeiçoar competências.

Com o intuito de maximizar o impacto do PCV e potenciar a sua intervenção, foi estabelecida uma relação muito próxima com a comunidade local, nomeadamente o Centro de Intervenção Comunitária de Fonton.

Download